Facebook Youtube IPDJ Comité Olímpico Comité Paralímpico Confederação do Desporto Fundação do Desporto Centro de Alto Rendimento UCI UEC Jogos Santa Casa
Início UVP-FPC Equipa Portugal Estrada BTT BMX Pista Escolas Ciclocrosse Ciclismo para Todos
Filiações 2019
Área do Utilizador
Parceiros Oficiais
Vantagens Filiados
Vantagens Filiados
Calendários
Calendário Nacional FPC
Calendários Regionais
Info. Desportiva
Documentos/Formulários
Formação
Formação
Centros BTT
Documentação
Centros BTT
Regulamentos
Gerais
Estrada
Pista
BTT
BMX
Ciclocrosse
Trial
Escolas de Ciclismo
Ciclismo para Todos
Antidopagem
Arbitragem
Disciplina
Contactos
UVP-FPC
Associações
Organizador Provas
Notícias
 
Queda coletiva afeta Equipa Portugal
Equipa Portugal
A primeira etapa da Volta a França do Futuro ficou hoje marcada por uma violenta queda coletiva, que afetou três dos seis portugueses em prova, Afonso Silva, Guilherme Mota e Marcelo Salvador.

O acidente deu-se numa altura em que o pelotão tentava, desesperadamente, alcançar o dinamarquês Mathias Norsgaard Jorgensen, que viria a vencer em solitário, após uma fuga de 118 quilómetros, iniciada ao quilómetro 10 na companhia do esloveno Ziga Horvat, e concluída em solitário.

Depois de ter deixado a fuga ganhar uma vantagem que viria a revelar-se incontrolável, o pelotão arriscou na fase final dos 128,8 quilómetros, com partida e chegada em Marmande, acabando por deixar a corrida marcada por uma queda de grandes dimensões.

Mathias Norsgaard Jorgensen triunfou, com 52 segundos de vantagem sobre o pelotão, comandado pelos britânicos Ethan Hayter e Thomas Pidcock. A queda deu-se fora da zona de proteção dos 3 quilómetros finais, mas, tendo em conta que envolveu mais de 30 corredores, a organização, em conjunto com o colégio de comissários optou por atribuir aos acidentados o mesmo tempo do pelotão principal.

Deste modo, toda a Equipa Portugal está a 52 segundos do camisola amarela, exceto Francisco Campos, 146.º, a 8m56s, porque já descolara no momento da queda. Gonçalo Carvalho é 51.º, Jorge Magalhães 84.º, Afonso Silva 129.º, Guilherme Mota 131.º e Marcelo Salvador 133.º.

Apesar de as perdas de tempo terem sido evitadas, as mazelas são uma realidade.

Boletim clínico
Marcelo Salvador:
Marcelo Salvador sofreu um traumatismo crânio-encefálico. Numa decisão consensual entre o departamento clínico da Federação Portuguesa de Ciclismo e os médicos que o assistiram na urgência hospitalar, o corredor ficará internado, em observação, nas próximas 12 horas. Está afastada a possibilidade de competir na segunda etapa da Volta a França do Futuro.

Afonso Silva:
Entorse do pé direito. Será reavaliado na manhã de sexta-feira para verificação de condições para alinhar na segunda etapa.

Guilherme Mota:
Sofreu traumatismo craniano sem evidências de lesões. Será reavaliado na manhã de sexta-feira para verificação de condições para alinhar na segunda etapa.

A segunda etapa, nesta sexta-feira, será o primeiro grande teste à capacidade das 26 equipas participantes. Trata-se de um contrarrelógio coletivo de 32 quilómetros, entre Eymet e Bergerac, que marcará, por certo, diferenças significativas na classificação geral individual. Para a Equipa Portugal, muito marcada pela queda de hoje, será uma jornada de grande sacrifício.
2019-08-15 - 18:18:00
Partilhar Facebook
« Voltar
 
 
120 Anos FPC
Ciclismo Vai Escola
Inscrições Online
História do Ciclismo
História do Ciclismo
Marcos Históricos
Palmarés das Corridas Portuguesas
Volta a Portugal
PNED
Lojas Oficiais
Redes Sociais
Site desenvolvido por: Cyclop Net - Desenvolvimento de Sites Profissionais